Páginas

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Olhar de peixe morto...olhar de amante...olhar de amigo...olhar 43...olhar de desprezo...olhar de esperança...olhar de ternura...olhar de cansaço...Olhares, são tantos e de tantas formas distintas que às vezes até nos confundem.
Estamos sempre olhando, como que em busca de algo. Desde a barriga da mãe nossos olhos abrem-se, olham a sua volta e tornam a fechar. E o movimento se repete constante e quase infinitamente.
Durante a existência humana ele é a parte que mais se alegra ou entristece. Ele diz tudo, ainda que nem todos compreendam. Ele sabe tudo, ainda que muitos duvidem. Ele sente tudo.
Antes mesmo de nossa mente pensar a respeito de qualquer assunto. Antes mesmo de nossas mãos tocarem. Antes mesmo de nosso coração sentir. Antes mesmo de ouvirmos algo. Antes de qualquer sentido, nosso olhar pensou, sentiu, ouviu e viu.
É inútil tentar descrevê-lo, é necessário usá-lo.
Simplesmente olhar

2 comentários:

Liza Mello disse...

ainda bem que olhamos tanto! assim temos assunto para os nossos blogs! hehe

boa sorte aqui! agora tu faz parte do clubinho de blogs da turma! hehe
a credencial chegará a qualquer momento em sua casa! hehehe

Luana Fuentefria disse...

Arrá! Achei!

Adorei a idéia. Olhares são sempre bem-vindos. E tu serás muito bem-vindo ao nosso cyberespaço.

Boa sorte!